aterramento

 

O que é aterramento elétrico?

Aterrar um dispositivo ou equipamento está relacionado a interligá-lo com a terra propriamente dita ou a uma grande massa que possa a substituir. Então quando nos referenciamos a um dispositivo aterrado estamos afirmando que pelo menos um de seus terminais estão propositalmente ligados a terra por meio de fios e cabos.

A palavra aterramento refere-se à terra propriamente dita. O aterramento é o fio ou a barra de cobre enterrado, onde passa a corrente elétrica para o solo. Quando se diz que algum aparelho está aterrado(ou eletricamente aterrado) significa que um dois fios de seu cabo de ligação está propositalmente ligado à terra. Ao fio que faz essa ligação denominamos “fio terra”.

 

A importância, necessidade e obrigatoriedade do aterramento

Esteja ciente que o aterramento elétrico é, basicamente a uma das formas mais segura de interferirmos na eletricidade de maneira a proteger e garantir um bom funcionamento da instalação elétrica, além, é claro, de atender exigências de normas.

Pois Bem! Segundo a ABNT, aterrar significa colocar instalações e equipamentos no mesmo potencial de modo que a diferença de potencial entre a terra e o equipamento seja zero. Isso é feito para que, ao operar máquinas e equipamentos elétricos ao realizar uma manutenção, o eletricista em Curitiba não receba descargas elétricas do equipamento que ele está manuseando, seja por corrente de falta (fuga para massa) ou por descarga eletrostática.

É obrigatório que todas as tomadas tenham o seu fio terra. Normalmente elas já vêm com o fio terra instalado, seja no próprio cabo de ligação do aparelho à tomada, seja separado dele. No primeiro caso é preciso utilizar uma tomada com três polos onde será ligado o cabo do aparelho.

No segundo caso, uma tomada com dois pólos é suficiente. O fio terra do aparelho (que obrigatoriamente deve ser verde ou verde-amarelo e que fica normalmente no fundo do equipamento) deve ser ligado diretamente ao fio terra da rede.

Alguns aparelhos elétricos não precisam de fio terra, Eles são construídos de tal forma que a corrente “fugitiva” não cause risco às pessoas. Para a sua ligação é usada uma tomada com apenas dois pólos, um para o fio fase e outro para o fio neutro.

O fio fase e o neutro são aqueles que levam a energia para os aparelhos. Por norma, a cor do fio neutro é obrigatoriamente azul. O fio fase pode ser vermelho, branco ou marrom.

 

As funções

Um dos itens mais importantes de um sistema de energia elétrica é o aterramento. Ele consiste na ligação à terra que assegura a fuga das correntes elétricas indesejáveis.

 
O aterramento elétrico tem três funções principais :

1) Proteger o usuário de descargas atmosféricas através da viabilização de um caminho alternativo para a terra.
2) Descarregar cargas estáticas acumuladas nas carcaças das máquinas ou equipamentos para a terra.
3) Facilitar o funcionamento de dispositivos de proteção como fusíveis e disjuntores, através da corrente desviada para a terra.

 
Há diversos tipos de sistemas de aterramento e a aplicação de cada um depende da necessidade do sistema de energia envolvido, da região e do custo. Os principais tipos são:
 

  • Apenas uma haste cravada no solo
  • Hastes dispostas triangularmente
  • Hastes em quadrado
  • Hastes alinhadas
  • Placas metálicas enterradas no solo
  • Fios ou cabos enterrados no solo, formando várias configurações: quadrado formando uma malha de terra; em cruz; estendido em vala comum ou em estrela.

 

Projetando o aterramento

O projeto deve ser desenvolvido de acordo com as normas vigentes da ABNT e algumas etapas devem ser seguidas para o sistema de aterramento seja executado adequadamente. É obrigatório que os fio neutro e terra sejam separados desde o quadro de distribuição e instalados no mesmo eletroduto em que está o fio fase. O fio terra das tomadas deve ser ligado ao terminal de aterramento do quadro de distribuição. Esses procedimentos são fundamentais para evitar danos aos aparelhos elétricos.

 

  • Localizar e definir o local do aterramento
  • Fazer várias medições no local
  • Fazer a estratificação do solo
  • Escolher o tipo de sistema de aterramento
  • Dimensionar o sistema de aterramento, observando a sensibilidade dos equipamentos de proteção e os limites de segurança das pessoas.

 

CUIDADO!
É muito importante ressaltar o cuidado com a manutenção nas instalações de aterramento, pois estão sujeitos à oxidação e à corrosão e, com o passar dos anos, não desempenharão mais a sua função. O projeto deve ser executado por profissionais competentes e especializados na área, pois o que está em questão é a segurança de pessoas e equipamentos. Por isso, recomendamos sempre chamar um eletricista em Curitiba para realizar os serviços.

 

O que é resistência de aterramento?

Outro ponto de dúvida é o valor da resistência de aterramento. Ela mede a capacidade do aterramento de descarregar a energia para a terra. Quanto menor essa resistência, melhor para a instalação, pois mais rápida será a atuação das proteções.

Embora alguns fornecedores cheguem a exigir 1 ohm (é a Unidade de Resistência), a norma de instalações elétricas (NBR 5410/97) não define diretamente nenhum valor, enquanto a norma americana de instalação elétrica exige um valor máximo de 25 ohms.

A norma brasileira de proteção contra descargas atmosféricas (NBR 5419/93) recomenda um valor máximo de 10 ohms. Sempre que possível, esse valor deve ser adotado para todas as instalações.

 

Como instalar um fio terra?

O fio terra tem a função de capturar a corrente elétrica que algumas vezes quer “fugir” do interior dos aparelhos defeituosos e conduzi-la para a terra, desviando-a do corpo das pessoas. Ele é fundamental para a proteção das pessoas contra os choques elétricos, absorvendo e encaminhando para a terra as correntes que “fugiram” dos aparelhos, e para a proteção dos aparelhos elétricos contra picos de energia. Ele descarregará para a terra as correntes “fugitivas” e estabilizará as tensões quando ocorrer defeitos nas instalações.

Podemos compará-lo ao cinto de segurança de um automóvel. Como o automóvel funciona e transporta pessoas que não estão utilizando o cinto de segurança, os aparelhos também funcionam sem possuir o fio terra. Por isso, muitas vezes as pessoas não se lembram de colocar o fio terra, fazendo com que os riscos à segurança das pessoas e dos aparelhos aumentem bastante, da mesma forma que no automóvel que se envolve em um acidente e seus ocupantes não estão usando o cinto de segurança.

A conexão dos equipamentos elétricos ao sistema de aterramento deve permitir que, caso ocorra uma falha na isolação dos equipamentos, a corrente de falta (corrente “fugitiva”) passe através do fio de aterramento ao invés de percorrer o corpo de uma pessoa que eventualmente esteja tocando o equipamento (o que provocaria choque, lesões e até mesmo morte – dependendo de cada situação e da intensidade da corrente de fuga).

 
Dentro de uma instalação elétrica existem diversos tipos de proteção: contra choques elétricos, contra descargas atmosféricas, contra sobretensões, etc. Para uma melhor compreensão e busca da solução mais conveniente, deve-se estudar separadamente cada uma delas. Porém ao executar a instalação, deve ser feito um único aterramento. As normas técnicas não permitem aterramentos isolados ou independentes, para que não apareça diferença de tensão, que é a principal causa de “queima” dos equipamentos e colocam em riscos os usuários das instalações elétricas. Um único ponto de aterramento é que irá garantir a proteção adequada.

O procedimento muito comum de utilizar aterramentos isolados, exclusivos ou independentes, constitui um grande equívoco. Esse procedimento não está de acordo com as regras das Normas Técnicas Brasileiras, de uso obrigatório, e coloca em risco as pessoas e aparelhos elétricos.

Todo o quadro de distribuição deve ter um terminal de aterramento, para onde irão convergir os fios terra da instalação. Isto significa que todos os fios terra, de cada aparelho, devem ser ligados ao mesmo ponto de aterramento.

O terminal, por sua vez, deve ser ligado ao eletrodo de aterramento, de uso obrigatório em todo padrão de entrada de energia. Essas ligações devem ser feitas da forma mais direta e curta possível.

 

Recomendações

Lembre-se: a energia elétrica é algo sério e deve ser tratada com respeito e muita responsabilidade. Caso não tenha nenhum conhecimento técnico, recomendamos chamar um marido de aluguel ou eletricista em Curitiba para que possa fazer o aterramento do seu imóvel da forma correta.

     

Fonte: Forum da Construção, Sala da Elétrica, OD

     

(Este conteúdo foi visitado 273 vez(es) | 1 visita(s) hoje)
Você também pode ser interessar por:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você pode usar HTML tags e atributos:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>